Sobrecarregado, hospital de Nápoles atende pacientes de Covid-19 no estacionamento

 

A nova onda de Covid-19, que atinge os países europeus desde a chegada da temporada fria no hemisfério norte, já lota hospitais e começa a recriar cenas de caos nos serviços médicos da Itália.


Sem dar conta de todos os pacientes que buscam serviços de urgência, o Hospital Cotugno, em Nápoles, começou a atender pacientes no estacionamento. Pessoas com falta de ar, recebem até mesmo oxigênio dentro de seus carros, enquanto aguardam um lugar no hospital.


O hospital não tem vagas, mas a fila de ambulâncias e de carros com novos pacientes não para de crescer. De acordo com uma reportagem da Reuters, uma paciente de 78 anos teve que ficar dentro de uma ambulência no estacionamento do hospital por 26 horas até ter uma vaga para ser internada.


A região de Nápoles, a Campania, é a terceira mais atingida pelo coronavírus neste momento.


Em um relatório, o Instituto Superior de Saúde (ISS), ligado ao governo italiano, afirmou que o país se encaminha para uma "rápida piora" da pandemia, que pode se tornar incontrolável.Novas regiões sob restrições


Com a piora da situação da pandemia de Covid-19 na Itália, o governo anunciou nesta terça-feira (10) a imposição de novas restrições em cinco regiões.


Nos próximos dias, bares e restaurantes deverão ser fechados em Abruzzo, Basilicata, Ligúria, Toscana e Úmbria. Além disso os habitantes estão proibidos de viajar para outras regiões. Sicília e Puglia já estavam sob essas regras desde a semana passada.


No norte do país, quatro regiões, entre elas a de Milão, estão com a maioria das lojas fechadas, além de bares e restaurantes. A circulação dos moradores também está restrita.


Além das restrições regionais, todo o país está sob toque de recolher das 22h às 5h desde a última sexta-feira.


Especialistas em saúde, incluindo a federação nacional de associações médicas, pedem restrições mais duras em todo o país. No entanto, após ter sido duramente impactada pela primeira onda, a Itália resiste a decretar um lockdown nacional no país.


Desde o começo do ano, quase 42 mil pessoas perderam suas vidas devido à Covid-19 na Itália, o país registrou mais de 960.000 contaminações.


* Com informações da AFP