EUA ordenam fechamento do consulado chinês em Houston para “proteger propriedade intelectual”

Os Estados Unidos ordenaram o fechamento do consulado chinês de Houston para "proteger a propriedade intelectual americana", segundo o Departamento de Estado do país. A China considerou a decisão uma "provocação" e ameaça com represálias. 

“A Convenção de Viena diz que os diplomatas devem respeitar as leis e regras do país hospedeiro e têm o dever de não interferir nos assuntos interiores do Estado”, disse a porta-voz do Departamento de Estado americano Morgan Ortagus, sem mais detalhes sobre as razões precisas do fechamento.

“Nós ordenamos o fechamento do consulado da República Popular da China para proteger a propriedade intelectual americana e informações privadas dos americanos”, declarou.

A decisão foi tomada em meio ao aumento das tensões entre os dois países em diversos assuntos: a controvertida Lei de Segurança Nacional imposta a Hong Kong, acusações de espionagem e a situação da minoria muçulmana dos uigures  na região de Xinjiang.

“Os Estados Unidos não tolerarão violações de nossa soberania e intimidações de nosso povo pela China, da mesma maneira que não toleramos as práticas comerciais injustas, o roubo de empregos de americanos e outros comportamentos flagrantes. O presidente Trump insiste sobre a justiça e a reciprocidade das relações sino-americanas”, afirmou ainda a porta-voz, em uma declaração publicada na imprensa.


“Provocação”

“Trata-se de uma provocação política, decidida unilateralmente pela parte americana, que viola o direito internacional”, denunciou à imprensa o porta-voz da diplomacia chinesa, Wang Wenbin.    

“A China condena firmemente esta ação escandalosa e injustificada”, disse o representante, que ameaçou Washington com “represálias”.

Segundo a imprensa em Houston, os bombeiros foram chamados na terça-feira porque documentos teriam sido queimados dentro do edifício do consulado. A polícia da cidade indicou no Twitter que uma fumaça foi vista, mas que não foi autorizada a entrar no prédio. 

A China tem cinco consulados nos Estados Unidos.

Com informações da AFP