Encontro de Cúpula de Líderes Internacionais marca 20 anos do Pacto Global

Nações Unidas realizam reunião virtual com chefes de Estado e líderes empresariais durante dois dias; temas como Covid-19, crises econômica e climática dominarão discussões; plataforma internacional reúne 10.855 empresas em nível global.
Foto: Pacto Global das Nações Unidas
Stand do Pacto Global da ONU na Web Summit, em Lisboa, Portugal

Altos representantes de países, do empresariado e de agências das Nações Unidas reúnem-se virtualmente a partir desta segunda-feira na Cúpula de Líderes do 20º aniversário do Pacto Global da ONU.

No evento, de dois dias, os participantes de 156 países abordarão temas como a Covid-19, as desigualdades econômicas e a crise climática sob o lema: Recuperar melhor, Recuperar mais fortes, Recuperar juntos.

O principal mercado atacadista no Chile durante a pandemia de Covid-19. by © FAO/Max Valencia

"Força poderosa"
Ao abrir o evento, o secretário-geral das Nações Unidas disse que o Pacto Global das Nações Unidas consolidou “a visão de que, quando as empresas se unem, elas podem ser uma força poderosa para o bem”.

O chefe da ONU o mundo enfrenta as crises de saúde, econômica e social sem paralelo na história da organização associada à emergência climática global, “com riscos colossais para as pessoas e os sistemas naturais”. Em tempos de incerteza, ele disse que nunca foi tão importante defender que essa visão.

Para Guterres, uma atuação conjunta deverá levar a aprofundar a sustentabilidade das empresas e unir as partes envolvidas em questões que permitam viver num mundo melhor.

Prosperidade
O presidente da Assembleia-Geral lembrou que na criação do Pacto Global da ONU, há 20 anos, em Davos, o então secretário-geral Kofi Annan disse que havia duas opções. Essa escolha estava “entre um mundo que condena um quarto da raça humana à fome e miséria e outro que oferece a todos pelo menos uma chance de prosperidade, em um ambiente saudável”. 

Tijjani Mohamed-Bande defende que embora muitos tenham aderido ao segundo propósito, há ainda mais a fazer. Ele destacou que tempos difíceis devem aproximar a humanidade e lembrar sobre o poder coletivo de superar crises por meio da solidariedade, da confiança e da parceria.

Dando como exemplo a criação da ONU, há 75 anos, Mohamed-Bande disse que uma atuação conjunta tornará possível combater a pobreza global, a desigualdade e as mudanças climáticas.

ClimaEm mais de 100 sessões virtuais participarão a chanceler alemã Angela Merkel e presidentes do Botsuana, da Colômbia, da Costa Rica e da Etiópia. Dezenas de executivos e chefes de agências das Nações Unidas também acompanharão os debates.

Pretende-se que o encontro com foco na saúde, na desigualdade e no clima seja “a mais inclusiva e sustentável” reunião da plataforma, que junta representantes empresariais em torno de desafios sociais e do avanço dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODSs.

Os palestrantes e participantes integram 68 redes do Pacto Global, que realizarão painéis especiais em diferentes fusos horários e idiomas.
by Foto ONU/Laura Jarriel
ONU quer decisões financeiras que levem em consideração a impactos ambientais e sociais

Recuperação
Este junho, 155 empresas com um capital combinado de mais de US$ 2,4 trilhões e mais de 5 milhões de funcionários assinaram um comunicado pedindo aos governos de todo o mundo que alinhem seus esforços de recuperação e ajuda econômica no contexto da Covid-19 com os dados mais recentes da ciência climática.

A iniciativa Metas Baseadas na Ciência incentiva novas políticas em favor da resistência a futuros choques e que apoiem esforços para manter o aumento da temperatura global abaixo de 1,5 ° C, e chegar à emissão líquida zero em 2050.