PF vai ao Planalto e recolhe câmera usada para gravar reunião ministerial

BRASÍLIA (Reuters) - A Polícia Federal esteve no Palácio do Planalto nesta segunda-feira e recolheu a câmera usada pela Secretaria de Comunicação da Presidência da República para fazer a gravação da reunião ministerial de 22 de abril, com o objetivo de verificar se houve algum tipo de edição no vídeo entregue ao Supremo Tribunal Federal (STF), informou à Reuters uma fonte da corporação com conhecimento da diligência.

O encontro ministerial é apontado pela defesa do ex-ministro da Justiça Sergio Moro como uma das principais provas de que o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir em trocas no comando da PF, em caso que está sob investigação em inquérito no Supremo. Bolsonaro nega qualquer tipo de interferência.

A disponibilização dos equipamentos de filmagem havia sido determinada em ofício do ministro Celso de Mello, do Supremo. Segundo a fonte, não houve busca e apreensão e a entrega da câmera ocorreu nesta segunda e já estava combinada entre a Polícia Federal e o Palácio do Planalto.

Procurada, a Secretaria de Comunicação Social não se manifestou de imediato sobre a diligência.

Reportagem de Ricardo Brito