Modernização do aeroporto reforça vocação turística de Foz do Iguaçu

As obras de ampliação da pista de pouso e decolagem do aeroporto de Foz do Iguaçu, bastante esperadas pelo município e região, já podem ser iniciadas. A ordem de serviço para início dos trabalhos foi assinada nesta sexta-feira (28), em solenidade com o governador Carlos Massa Ratinho Junior, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e o diretor-geral brasileiro da Itaipu, Joaquim Silva e Luna. A obra custará R$ 53,9 milhões. Na mesma solenidade foram inauguradas as obras de revitalização do terminal de passageiros do aeroporto.
Foto: RODRIGO FELIX LEAL

O governador destacou a vocação turística de Foz e a importância dos investimentos no aeroporto. “Essas obras demonstram foco e sintonia entre o Governo Federal, Estadual e Itaipu em busca do desenvolvimento de uma das principais cidades do País”, afirmou. “Turismo é transferência de Produto Interno Bruto, com as pessoas de outros lugares vindo gastar em Foz. Com o aeroporto moderno, o mundo inteiro poderá conhecer as belezas deste lugar, um dos maiores atrativos do Brasil”, acrescentou Ratinho Junior.

Na etapa entregue nesta sexta-feira, o aeroporto ganhou melhorias no saguão e nas áreas de check-in e inspeção. Foram ampliadas as salas de embarque e desembarque, implantados escadas rolantes e também novos elevadores. O pacote de ações contou ainda com a instalação de quatro pontes de embarque (fingers) e de carrosséis de bagagem.

Com a modernização, de acordo com a Infraero, a capacidade do terminal saltará dos atuais 2,6 milhões para 5 milhões de passageiros ao ano. As salas de embarque, por exemplo, passaram de 900 metros quadrados para 5.400 metros quadrados. O investimento por parte da União, com recursos da Infraero e da Itaipu Binacional, foi de R$ 32,6 milhões.

CONQUISTA - A obra de ampliação da pista de pouso e decolagem é bastante esperada. A previsão, disse Ratinho Junior, é que a pista fique pronta em abril de 2021. O prazo de execução é de 515 dias a partir da liberação da ordem de serviço. Ou seja, antes de a administração do complexo ser repassada à iniciativa privada com o leilão previsto pelo Governo Federal para ocorrer ainda neste ano.

Serão destinados mais R$ 53,9 milhões na ampliação da área, que permitirá que o terminal receba voos de maior porte, reforçando a vocação turística do município. O terminal não será fechado no período. “É mais um importante passo para tornar o aeroporto de Foz do Iguaçu apto a receber voos internacionais mais frequentes, uma conquista que impactará a economia de toda a região”, afirmou o governador. “Essa obra é uma reivindicação do Paraná, pois vai valorizar ainda mais o principal destino turístico do Estado, incrementar o comércio e atrair investimentos”, acrescentou.

Ratinho Junior lembrou que a ampliação da pista foi incluída no pacote de investimentos da Itaipu Binacional e da Infraero atendendo a um pedido do Governo do Estado feito em agosto do ano passado. “Uma parceria que tem gerado bons resultados para o Paraná, com o desenvolvimento de toda a região Oeste do Estado”, ressaltou.

O ministro da Infraestrutura reforçou que o terminal seguirá sendo ampliado. Segundo ele, entre as obras previstas está a construção de uma segunda pista, que vai constar no edital de privatização do complexo. “Foz do Iguaçu precisa e merece”, destacou Gomes de Freitas.

Ele enfatizou a importância de entregar as obras e os projetos de infraestrutura para a economia do Paraná. A ampliação, afirmou, permitirá a abertura de novas rotas internacionais tendo Foz do Iguaçu como ponto de partida ou chegada com voos diretos, ajudando a fomentar o turismo na cidade. “É um momento histórico, que coloca Foz do Iguaçu em outro patamar, com capacidade para receber conexões dos Estados Unidos e da Europa”, afirmou.

ESTRUTURA – A pista do Aeroporto Internacional das Cataratas tem 2.195 metros de comprimento por 45 metros de largura, e é considerada curta para decolagem de voos de longa distância. Hoje não é possível decolar com o tanque cheio, o que impossibilita voos diretos para os Estados Unidos e a Europa. A nova pista terá 2,8 mil metros, 605 metros a mais que a atual. Além disso, será aplicada uma camada de revestimento de Stone Matrix Asphalt (SMA), que dá ganho de performance de 20% às aeronaves, o que permite autonomia de voos para locais como Miami, Nova York, Lisboa e Madri.

Para o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, a modernização do terminal aéreo de Foz ajuda a reforçar o papel do Estado como hub logístico do cone sul. “É uma notícia importante não só para Foz do Iguaçu, mas para o Paraná e o Brasil. Essa conquista pode elevar as Cataratas do Iguaçu como principal destino de estrangeiros no País”, destacou ele.

ITAIPU – A Itaipu vai arcar com 80% dos recursos para a obra (R$ 43,1 milhões), conforme o protocolo de intenções assinado entre a binacional e a Infraero. Esse investimento se soma a outro de R$ 15,5 milhões aplicados na duplicação da ligação entre o aeroporto e a BR-469 e na ampliação do pátio de manobras de aeronaves.

Ainda de acordo com o protocolo, o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu será o primeiro com conceito sustentável do País. Para atender essa classificação, haverá geração de energia por painéis fotovoltaicos, gestão de resíduos sólidos e captação da água da chuva. Entre outras ações, o terminal contará também com um eletroposto. “A missão de Itaipu é garantir energia de qualidade para brasileiros e paraguaios, mas também ajudar na evolução de toda a Região em sinergia com o Governo do Estado”, disse Silva e Luna.

LICENÇA – O Instituto de Água e Terra (IAT) emitiu as licenças necessárias para a obra de ampliação da pista. A empresa responsável pelas obras é a Dalba Engenharia e Empreendimentos, de Guarapuava. O órgão garantiu também a autorização para duplicação de um trecho de 800 metros de extensão, entre o trevo da Rodovia das Cataratas até a entrada de acesso ao aeroporto. Esta é uma obra que vinha sendo reivindicada pela população há tempo e que vai melhorar o fluxo de veículos, já considerando a ampliação do aeroporto. A licença para a duplicação do acesso foi emitida em agosto último e faz parte do complexo do aeroporto, considerado importante pela Infraero.

PRESENÇAS – Participaram da solenidade o vice-governador Darci Piana; os secretários estaduais Guto Silva (Casa Civil), João Carlos Ortega (Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas), Beto Preto (Saúde), Norberto Ortigara (Agricultura e Abastecimento), Rômulo Marinho Soares (Segurança Pública) e Márcio Nunes (Desenvolvimento Sustentável e Turismo); o diretor-presidente da Paraná Turismo, João Jacob Mehl; o diretor-presidente da Invest Paraná, Eduardo Bekin; o comandante do Corpo de Bombeiros do Paraná, Samuel Prestes; Fernando Furiatti, diretor-geral do DER-PR; o secretário nacional da Aviação Civil, Ronei Glanzman; o presidente da Infraero, Hélio Paes de Barros Júnior; o diretor de coordenação de Itaipu,Luiz Felipe Carbonell; os deputados federais Schiavinato, Giacobo e Vermelho; deputados estaduais Hussein Bakri (Líder do Governo), Soldado Fruet e Nelson Luersen.

Plano do município é dobrar número de turistas

Levantamento da Secretaria de Turismo de Foz apontou que em 2018 o aeroporto da cidade recebeu 2,3 milhões de passageiros. Dos que desembarcaram na cidade no período, 86% tinham no turismo a principal atividade, com gasto médio de US$ 77 (cerca de R$ 335) por pessoa.

O prefeito Chico Brasileiro lembrou que o plano do município é dobrar o número de turistas até 2030. Segundo ele, cerca de 4 milhões de pessoas visitaram a cidade no ano passado. “A modernização do aeroporto e da via de acesso nos garante toda a infraestrutura urbana para receberemos mais turistas. O número de voos internacionais será consideravelmente ampliado com a nova pista”, explicou o prefeito.

O Parque Nacional do Iguaçu, por exemplo, maior atrativo turístico do Paraná, recebeu 2.020.358 turistas em 2019. É o recorde de visitações na unidade de conservação e a primeira vez da história em que as catracas giraram mais de dois milhões de vezes. O aumento de turistas brasileiros e estrangeiros foi de cerca de 6,6% em relação a 2018, quando o parque atingiu a marca de 1.895.501 pessoas.

Foz do Iguaçu também registrou recorde de visitação em outros pontos turísticos. Cerca de 450 mil pessoas de 132 nacionalidades visitaram o Marco das 3 Fronteiras em 2019. O movimento de 2019 foi 11% maior que o mesmo período do ano anterior, quando o atrativo recebeu 407.831 pessoas.Já a Itaipu Binacional recebeu 1.028.225 turistas em 2019, crescimento de 0,4% em relação a 2018 (1.024.549).

Aeroporto de Foz integra novo pacote de concessões do Governo Federal

O Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu está dentro do pacote de concessões do governo federal, que engloba, ainda, os aeroportos de Curitiba (Bacacheri), São José dos Pinhais (Afonso Pena) e Londrina. O bloco sul engloba também as concessões de dois aeroportos em Santa Catarina (Navegantes e Joinville) e três no Rio Grande do Sul (Pelotas, Bagé e Uruguaiana).

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o bloco Sul tem valor estimado em R$ 8,9 bilhões e lance mínimo de R$ 516 milhões nesta nova rodada de concessões do Governo Federal. A duração do contrato será de 30 anos.

Secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex ressaltou que os contratos preveem investimentos de R$ 1,5 bilhão nos quatro aeroportos do Estado. As obras e aquisições de novos equipamentos farão com que os terminais subam de categoria e constarão no acerto de concessão.

A Anac vai realizar quatro sessões presenciais, sendo a primeira em Goiânia e as demais em Manaus, Curitiba e Brasília. A audiência do bloco Sul será em Curitiba, no dia 9 de março, a partir das 9h, no Mercure Aeroporto (Rua Barão do Cerro Azul, 261 - Águas Belas, São José dos Pinhais).

Município conta com novas linhas aéreas

Foz no Iguaçu iniciou 2020 com novos voos diretos. Dentro do Estado, a cidade passará a ter nova ligação diária com a capital Curitiba a partir de março. A Latam Airlines Brasil ampliou de 2 para 16 o número semanal de voos diretos entre as cidades. De acordo com a companhia, o investimento reflete a atenção com as oportunidades no Paraná, onde a companhia mantém contrapartidas em acordo para a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o combustível de aviação.

Além disso, em janeiro a companhia aérea low cost (baixo custo) Jet Smart começou a operar voos diretos para Santiago, no Chile. Do Aeroporto das Cataratas já saem voos diários para Lima, no Peru, operados pela Latam. Em dezembro, começou a operação da companhia boliviana Amaszonas, ligando a cidade paranaense a Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, com conexões para outros destinos nos países andinos, como Cusco (Peru), Iquique (Chile), e La Paz e Uyuni, também na Bolívia.