MANCHETES

audima

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

Como Londrina alcançou o selo A no Mapa do Turismo


Londrina. Foto: José Fernando Ogura/ANPr


O Paraná ganhou uma nova cidade com selo A no Mapa do Turismo Brasileiro. Londrina, no Norte, se junta a Curitiba e Foz do Iguaçu na melhor categoria como principais destinos do Estado, além do potencial para atrair ainda mais visitantes. A classificação é do Ministério do Turismo e traz um panorama de 2019 a 2021, dentro de uma estratégia de regionalização dos potenciais brasileiros. É um índice determinante para o planejamento turístico das cidades.


Londrina é uma cidade de imigrantes de diversas nacionalidades e a maior cidade do interior do Paraná, com mais de 500 mil habitantes. É conhecida por seus parques (Arthur Thomas, Jardim Botânico, Lago Igapó e Mata dos Godoy), pelos monumentos (Museu de Arte de Londrina, Museu Histórico de Londrina, Cine Teatro Universitário Ouro Verde e Catedral Metropolitana), pela produção agrícola (trigo e soja) e pela universidade estadual, a UEL.

Mas um dos principais fatores que corroboram para essa nova condição é o turismo de eventos. São quase mil catalogados no biênio 2018-2019 – apenas a Universidade Estadual de Londrina (UEL) organiza mais de 400 por ano. Outro exemplo é o Lidere, maior encontro empresarial da região Norte, que aconteceu neste mês pelo segundo ano e reuniu mais de mil pessoas e gestores de todo o País.

Um dos esforços que impulsionam esse novo momento foi idealizado pelo Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel): a redução de 5% para 3% do ISS (Imposto Sobre Serviços) para eventos. Essa política já foi adotada em cidades de pequeno e médio porte para atrair investimentos, e ajuda a potencializar as iniciativas já desenvolvidas pelos setores privado e público.

Segundo Maitê Uhlmann, diretora do Codel, esse projeto foi encaminhado à Câmara Municipal como forma de referendar essa nova condição. “Fizemos estudos para avaliar os possíveis resultados e consideramos válidos. A expectativa é que até o fim do ano a proposta seja aprovada pelos vereadores”, afirma. A justificativa leva em conta a competitividade entre as cidades e a possibilidade de melhorar o ambiente empresarial atraindo novas expertises.

VÍDEO INSTITUCIONAL - A diretora também explica que neste ano foi distribuído pela primeira vez pela cidade, pelo Estado e em redes digitais um vídeo institucional de Londrina, o que contribui como forma de fomentar o turismo. “Depois de 15 anos finalmente fizemos um vídeo que apresenta a cidade. Distribuímos nas redes sociais oficiais da administração pública e também nas nossas redes de contatos. O intuito é mostrar uma cidade cada vez mais relevante no cenário nacional”, comenta.

Para o presidente da Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil), Fernando Moraes, essa elevação se deve à vocação municipal no setor de serviços. “A sociedade civil londrinense é promotora natural do destino nos eventos que participa pelo País, influencia políticas públicas para o segmento no âmbito municipal e tem se dedicado a ampliar o número de eventos e a qualificá-los”, enumera Moraes.

O presidente da Acil destaca, ainda, o apoio à divulgação de um calendário de eventos, campanhas sazonais do comércio, além da qualificação do segmento por meio do seu Centro de Capacitação Empresarial e do Programa Empreender, promovidos pela associação.

FORÇAS PRODUTIVAS - Arnaldo Falanca, presidente da Londrina Convention Bureau, associação de entidades e organizações ligadas ao turismo da cidade, afirma que o novo status significa também uma nova responsabilidade. “É um reconhecimento da criatividade e das inovações dos nossos empresários. Precisamos criar ambientes para receber cada vez melhor os nossos turistas”, afirma.

“É uma conquista das forças produtivas da cidade, que repercutirá em todo País e também internacionalmente em termos de captação de eventos e do turismo de negócios”, complementa o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati.

Essa elevação de categoria permitirá ao município angariar mais recursos federais para o turismo e vai fortalecer o emprego, o comércio e o desenvolvimento tecnológico da região, que já é conhecida como uma das que mais atraem startups no Estado. O selo A também fomenta a economia criativa.

MAPA – O Mapa do Turismo estabelece uma categorização de municípios turísticos que vai de A a E. Essa classificação é um meio de acompanhar as economias turísticas locais. Além disso, com essas informações ele presta apoio a priorização de investimentos por programas do Ministério do Turismo, que dentre eles inclui ações de infraestrutura turística, preparação de qualificação profissional e promoção dos destinos, observando as características e demanda de cada cidade.

SELO B - O Paraná também ganhou cinco municípios com selo B e agora conta com 14 nessa classificação: Campo Mourão, Cascavel, Guarapuava, Guaratuba, Maringá, Matinhos, Paranaguá, Pato Branco, Ponta Grossa, Pontal do Paraná, São José dos Pinhais, Telêmaco Borba, Toledo e Umuarama.

Com informações da ANPr