MANCHETES

audima

terça-feira, 27 de agosto de 2019

Paraná lança maior banco de projetos executivos de sua história


Governador Carlos Massa Ratinho Junior lança banco de projetos do Paraná. Foto Gilson Abreu/AEN


O governador Carlos Massa Ratinho Junior lançou nesta segunda-feira (26), no Palácio Iguaçu, um banco de projetos executivos de R$ 350 milhões para viabilizar e agilizar obras de reestruturação de rodovias, ferrovias e da segurança pública. É o maior aporte de recursos para planejamento da história do Estado. Ele tem formato inédito e foi desenvolvido para resolver os grandes gargalos históricos do Paraná.

Ratinho Junior destacou que a iniciativa demandou o envolvimento de diversas áreas do Governo e é parte de um programa maior de investimentos e atração de recursos para renovar toda a infraestrutura do Estado, preparando o Paraná para ser o hub logístico da América do Sul. “Esse não é um programa do nosso mandato, mas um banco que vai ficar por muitos anos à disposição dos próximos governadores, deputados e secretários. É um plano diretor de infraestrutura”, afirmou.

O governador também destacou que assumiu o Governo sem nenhum projeto executivo estruturado, o que inviabilizava a atração dos recursos necessários para as obras. Ele também afirmou que a produção do agronegócio dobra de tamanho a cada dez anos, ritmo que precisa ser acompanhado pela administração pública.

“Nós temos que começar pela base, pelos projetos, o Paraná nunca pensou dessa maneira. Com os projetos executivos estruturados nós teremos condições de buscar recursos para concretizar as obras que são vitais para o nosso desenvolvimento econômico”, complementou.

RECURSOS - Fazem parte do banco de projetos R$ 290 milhões para melhorar ou implementar pavimentação, trevos, contornos e pontes em ligações rodoviárias; R$ 40 milhões para estruturar a malha ferroviária e concretizar as ligações Foz do Iguaçu-Cascavel e Dourados-Paranaguá; e R$ 20 milhões para segurança pública, o que inclui a Cidade da Polícia, penitenciárias, institutos de criminalística e batalhões. A maior parte dos recursos será disponibilizado pelo Tesouro Estadual, mas também serão usadas linhas de financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

OBRAS - Nessa primeira etapa serão liberados editais para a licitação de R$ 51 milhões em projetos executivos para 26 trechos de rodovias em todas as regiões do Estado, envolvendo as PRs 323 (Norte/Noroeste), 280 (Sul/Sudoeste), 092 (Capital/Campos Gerais), 445 (Norte), 317 (Noroeste), 412 (Litoral), 466 (Centro/Norte), 151 (Campos Gerais/Norte) e 180 (Oeste).

O banco de projetos prevê investimentos de R$ 105 milhões nos primeiros doze meses (2019 e 2020) e outros dois aportes de R$ 155 milhões e R$ 90 milhões nos anos subsequentes.

PLANEJAMENTO - O chefe da Casa Civil, Guto Silva, disse que o banco de projetos prepara o Estado para tirar do papel as grandes obras. Ele também destacou o apoio da Assembleia Legislativa, que contribuiu para apontar os maiores gargalos das regiões. “É uma decisão que não é eleitoreira, não é em função do processo eleitoral, é de quem está pensando o futuro do Paraná. Essas obras serão compartilhadas com todos os deputados estaduais, que também vão ajudar a fiscalizar e eventualmente incluir verba no orçamento para tocar as obras”, afirmou.

O governador Ratinho Junior disse, ainda, que o banco de projetos aponta para um planejamento de médio e longo prazos. “Os próximos governadores terão projetos à disposição para tocar, duplicações a serem feitas, terceiras faixas. O Paraná terá planejamento. Nós temos um potencial geográfico e o mínimo que temos que fazer é ter inteligência para planejar o Estado como um grande referencial logístico próximo da maior parte do Produto Interno Bruto (PIB) de toda a América do Sul”, complementou.

REFERÊNCIA - Segundo o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, o banco de projetos do Paraná será uma referência no País. A área recebeu os maiores recursos para dar conta da evolução da economia do Estado. Estarão incluídos, por exemplo, os contornos de Umuarama, Campo Mourão, Cascavel, Londrina e Cianorte; o Trevo das Cataratas; trechos de rodovias que somam mais de mil quilômetros; e a ponte de Guaratuba.

“São rodovias que precisam de pavimentação, o que é aguardado há décadas. Que precisam de ampliação de capacidade, o que oferece mais segurança. O Paraná é um Estado logístico e que tem um fluxo muito grande de movimentação para escoamento da produção”, afirmou o secretário. “Vamos estruturar as malhas viária e ferroviária para atender o setor produtivo e ampliar nossa capacidade de gerar emprego e renda”.

MAIS ENGENHEIROS - O governador Ratinho Junior também autorizou a incorporação de cinquenta novos engenheiros ao quadro técnico do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) para dar conta da demanda dos projetos.

G7 – Antes da solenidade de lançamento do banco de projetos, o governador apresentou o pacote ao G7, grupo formado pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Federação da Agricultura do Paraná (Faep), Federação e Organização das Cooperativas do Paraná (Fecoopar), Federação do Comércio do Paraná (Fecomércio-PR), Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Paraná (Fetranspar), Associação Comercial do Paraná (ACP) e Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap) e Sebrae-PR.

José Roberto Ricken, coordenador do G7, disse que o setor empresarial vê com entusiasmo a ideia. “O setor produtivo do Paraná não aguenta mais produzir sem investimentos decisivos em infraestrutura. O poder de competição em nível internacional depende da redução do custo da logística. Nós não temos outro endereço. Queremos produzir no Paraná e gerar desenvolvimento principalmente no interior, onde é mais necessário”, afirmou.

PRESENÇAS – Estiveram presentes o vice-governador Darci Piana; os secretários Valdemar Bernardo Jorge (Planejamento e Projetos Estruturantes) e Márcio Nunes (Desenvolvimento Sustentável e Turismo); o diretor-geral do DER-PR, Fernando Furiati; o presidene da Comec, Gilson dos Santos; os deputados estaduais Hussein Bakri (líder do Governo), Ademar Traiano, Alexandre Curi, Tiago Amaral, Nelson Justus, Artagão Junior, Delegado Recalcatti, Boca Aberta Júnior, Cobra Repórter, Delegado Fernando, Douglas Fabrício, Elio Rusch, Alexandre Amaro, Emerson Bacil, Evandro Araújo, Gilson de Souza, Jonas Guimarães, Romanelli, Luiz Fernando Guerra, Marcel Micheletto, Paulo Litro, Márcio Pacheco, Wilmar Reichembach e Tercílio Turini; além de 75 prefeitos municipais.


Conheça os projetos que integram o banco

Integram o pacote de projetos executivos mais de mil quilômetros de trechos de rodovias importantes para o Paraná, como as Prs 092, 180, 280, 323, 158, 151, 239, 506, 466, 445, 412, 317, 574, 575, 460, 486, 082, 170 e 281. Eles envolvem melhoria e ampliação da capacidade, restauração, implementação de pavimentação e Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA).

Também estão presentes os contornos de Londrina (Norte), Cianorte, Umuarama, Campo Mourão, Castro, Curitiba (Norte), além do Trevo Cataratas, em Cascavel, e as pontes Querência e Japurá (Noroeste), Ariranha Ivaí (Centro), Guaratuba e Nhundiaquara (Litoral).

No pacote de infraestrutura ferroviária, de R$ 40 milhões, o Governo do Estado incluiu os Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) dos trechos Foz do Iguaçu-Cascavel, Dourados-Cascavel, e Guarapuava-Paranaguá.

De acordo com estudos da Secretaria de Infraestrutura e Logística, cerca de 10 milhões de toneladas circularam pelas ferrovias paranaenses com destino aos portos do Paraná em 2018, contra 43 milhões de toneladas transportadas por caminhões, o que mostra um desequilíbrio no escoamento que precisa ser enfrentado.

SEGURANÇA - Fazem parte do banco de projetos executivos os Institutos de Criminalística de Maringá, Ivaiporã, Londrina e Curitiba (Sítio Cercado), o 19° Batalhão da PM de Toledo, a Cadeia Feminina de Londrina e o 4º CIPM de Londrina, a Cadeira Feminina de Guarapuava, a Cadeira Pública do Litoral, o Centro Integrado da Ilha do Mel, a Cidade da Polícia e recursos para sede, almoxarifado e centro de ensino e treinamento dos funcionários do Depen.


Governo lança estudo para tirar do papel a nova Estrada de Guaraqueçaba

O governador Carlos Massa Ratinho Junior também anunciou, durante o lançamento do banco de projetos, a ordem de serviço para o estudo de viabilidade da Estrada de Guaraqueçaba, trecho de 80 quilômetros sem pavimentação que será modernizado para finalmente conectar os moradores do município ao Estado. A licitação da empresa já foi feita. “É uma região que sempre foi esquecida pelo Poder Público e finalmente vamos colocar no mapa logístico do Estado do Paraná”, afirmou Ratinho Junior.

O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, disse que Guaraqueçaba é um símbolo do Paraná e que a população do Litoral aguarda há décadas uma solução de pavimentação. “A estrada tem que ser ecológica. Esse estudo vai indicar qual é a obra que nós vamos licitar para poder colocar a comunidade em contato com o Estado, porque estão isolados. Essa assinatura é o passo mais importante: o projeto para a concretização de um sonho”, complementou.

Fonte: AEN