MANCHETES

audima

quinta-feira, 4 de julho de 2019

Fortes chuvas obrigam mais de 1 milhão de pessoas a deixar suas casas no Japão


O nível do rio Wada, em Kagoshima, está muito acima do normal devido as fortes chuvas que atingem a cidade japonesa.Mandatory credit Kyodo/via REUTERS

As autoridades japonesas ordenaram nesta quarta-feira (3) que 1,1 milhão de pessoas deixassem suas casas, devido às chuvas torrenciais que castigam o sul do país. A decisão preventiva acontece um ano depois que inundações deixaram cerca de 200 mortos no Japão.


As fortes chuvas atingem a ilha de Kyushu. Desde sexta-feira (28), choveu em alguns locais o equivalente ao nível de precipitação registrado normalmente em todo o mês de julho. Segundo o serviço de meteorologia, vai continuar chovendo até quinta-feira (4).

O governo informou que houve pequenos deslizamentos de terra em algumas áreas da região afetada, segundo a rádio pública NHK. Eles arrastaram vários carros e soterraram ao menos uma habitação. Por enquanto, não houve inundação e não há informações sobre feridos.

Prevenindo novas críticas

Os moradores tiveram que deixar suas casas principalmente nas cidades de Kagoshima e Miyazaki. Eles estão alojados em abrigos. A ordem de evacuação costuma ser emitida quando há grande probabilidade de ocorrência de desastre natural. Ainda que as autoridades orientem os moradores, insistentemente, para procurarem os alojamentos, essas instruções são ignoradas com frequência.

Há um ano, o governo do primeiro-ministro Shinzo Abe foi muito criticado por ter demorado a reagir diante da pior catástrofe meteorológica no país, desde 1982. Inundações e deslizamentos de terra ocorridos nas provícias de Ehine, Okayala e Hiroshima, no oeste do Japão, deixaram mais de 220 mortos em julho de 2018.