Navigation Menu

Copel chega aos 100 dias mais enxuta e perto do consumidor



ANPr
Os primeiros 100 dias da nova gestão da Copel foram marcados pela eficiência e redução de despesas. O presidente da companhia, Daniel Pimentel Slaviero, determinou corte de R$ 10 milhões no custo anual da empresa a partir da extinção de cargos de alto escalão e da devolução de prédios corporativos alugados. A política de maior eficiência está alinhada às prioridades do governo Ratinho Junior.

As subsidiárias de Geração e Transmissão, Distribuição e Comercialização de energia não têm mais diretores adjuntos. Os cargos de assessores em todas as diretorias foram reduzidos em 50%. Três prédios alugados serão desocupados e todos os funcionários desses locais, realocados.

Slaviero tem feito reuniões com consumidores para ouvir demandas e mostrar os investimentos planejados para os próximos anos. Cascavel, Bituruna, Francisco Beltrão e Medianeira foram os primeiros municípios a ter encontros.

PARANÁ É PRIORIDADE - Seguindo a diretriz expressa pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, a gestão da Copel é focada no Paraná e no negócio de energia elétrica. Os investimentos realizados fora do Estado entram em operação neste ano – a hidrelétrica Colíder (MT) e a eólica Cutia (RN).

Em 2019, será investido R$ 1,96 bilhão, sendo R$ 835 milhões para distribuição, R$ 827 milhões em geração e transmissão, R$ 290 milhões em telecom, R$ 700 mil em comercialização e R$ 13,7 milhões em demais áreas da empresa.

Mais de R$ 500 milhões serão para novas subestações, obras de média tensão e o programa Mais Clic Rural – que está modernizando as redes que atendem a quatro polos da agroindústria: suinocultores, fumicultores, aviários e produtores de leite. Mais R$ 289 milhões serão aplicados em manutenção, atendimento ao consumidor, entre outros.

MAIS QUALIDADE - Instalado em Curitiba, o Smart Copel é o centro de operações mais moderno do país e tem o melhor software para gestão de rede de energia inteligente. A Copel é pioneira no uso do sistema. No local, foi implantada uma nova agência de atendimento ao consumidor, cujo modelo com tecnologia de “caminho do cliente” foi replicada Londrina e Cascavel e, em breve, também em Maringá e Ponta Grossa.

A subestação Bituruna, que recebeu R$ 40 milhões e funciona desde fevereiro, beneficia 60 mil moradores, é automatizada e tem tecnologia que permite restabelecer a energia de modo remoto.

O parque de geração da Copel, hoje com capacidade instalada de 6.392 MW, ganhou reforços importantes. Baixo Iguaçu foi construída com a Neoenergia no rio Iguaçu. Tem três unidades geradoras e gera 350 megawatts, o suficiente para atender 1 milhão de pessoas.

No Mato Grosso, a hidrelétrica Colíder tem capacidade de 300 MW, suficiente para atender 800 mil pessoas. A primeira unidade geradora começou a operar em março. O complexo Eólico Cutia tem 312 MW e faz parte de um conjunto de quatro complexos construídos pela Copel no Rio Grande do Norte.

TELECOM - A Copel Telecom receberá R$ 290 milhões em 2019 para ampliação de rede e mercado. Hoje, a empresa tem 33,5 Km de fibras ópticas e está presente em todos os municípios do Paraná.