Navigation Menu

Começa o ano letivo nas escolas estaduais do Paraná







Pátios, corredores e salas de aula lotados. Assim foi a manhã dessa quinta-feira (14) nas 2,1 mil escolas da rede estadual de ensino no primeiro dia do ano letivo. Equipe pedagógica a postos, mais de um milhão de estudantes voltaram à rotina escolar em todo o Paraná. Após 40 dias de mobilização, capacitação e esforço coletivo, diretores, pedagogos, professores e funcionários garantiram um retorno tranquilo para todos os estudantes.

O secretário da Educação, Renato Feder, acompanhou o primeiro dia de aula no Colégio Estadual São Cristóvão, em São José dos Pinhais. “O trabalho para receber os alunos começou cedo. Tivemos o encontro com diretores. Os dias de Estudo e Planejamento com professores e pedagogos. A equipe da Educação trabalhou muito para chegar ao primeiro dia com aula em todas as escolas estaduais.”

Feder também destacou algumas ações da Secretaria da Educação antes do início do ano letivo. “Nós tivemos mais dias para os encontros pedagógicos dos professores e vamos ter esse planejamento também em julho, uma novidade proposta pela secretaria”. disse. “Também vamos implementar a Prova Paraná, uma ferramenta para ajudar os professores a avaliar a aprendizagem dos alunos durante o ano. São propostas que foram elaboradas com muito diálogo, porque queremos fazer uma gestão muito próxima das escolas”, completou.

REENCONTROS – No Colégio Estadual São Cristóvão, o diretor Jaques Pereira recebeu os cerca de 2 mil alunos dos ensinos Fundamental, Médio e Técnico. A escola preparou uma programação diferente para esses primeiros dias. “Hoje eles vão ter um lanche especial, uma recepção cuidadosa para que se sintam acolhidos”, explicou Pereira.

Para uma adaptação mais tranquila, os alunos dos sextos anos vindos da rede municipal de ensino vão fazer um tour pela escola com os professores para conhecer a estrutura do colégio. Já os 183 alunos vindos da rede particular participam do chamado diagnóstico do aluno.

“A pedido dos professores, vamos fazer um diagnóstico para conhecer os alunos, saber de onde vieram e como está o nível de conhecimento, para que haja um nivelamento com os alunos que já estavam na escola”, explicou Jaques.

Camila Benthien Rosa, de 14 anos, do 1ª ano do Ensino Médio, estuda no colégio desde o 6º ano do ensino Fundamental. “Eu gosto de estudar aqui porque os professores são bons, o ensino é bom. Estava ansiosa para retornar para a escola, porque o primeiro dia sempre é diferente, salas novas, professores e disciplinas novas”.

O primeiro dia também é especial para os professores. “Esse recomeço é bastante emocionante porque nós chegamos com a expectativa de contribuir com a educação do Paraná, e principalmente ajudar para que esses alunos cresçam com os conhecimentos e tenham sucesso no futuro”, disse a professora de Matemática Alessandria Schueda.

A TODO VAPOR – Recursos previstos pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional (Fundepar) asseguram a continuidade de serviços que contribuem para a melhoria do dia a dia nas escolas, como a alimentação e o transporte escolar, os repasses do Fundo Rotativo e obras. Só para 2019, estão previstos cerca de R$ 435 milhões em infraestrutura escolar.

“Nosso trabalho buscou garantir tranquilidade para as escolas estaduais com o retorno dos nossos estudantes”, disse o diretor-presidente do Instituto Fundepar, José Maria Ferreira.

MERENDA – O programa de alimentação escolar vai aplicar cerca de R$ 145 milhões para aquisição de alimentos processados e in natura de associações de agricultores familiares que garantem refeições diárias a milhares de alunos. A primeira remessa de alimentos não perecíveis e congelados desse ano já foi entregue às escolas. Alimentos da agricultura familiar e ovos começam a chegar às unidades na semana que vem.

Os alunos da rede estadual que necessitam de transporte escolar para chegar às escolas têm o serviço assegurado. O governo estadual destinará aos municípios, responsáveis pelos ônibus escolares, R$ 120 milhões pelo programa estadual de transporte escolar.

OBRAS – Para a execução de obras de reparos e melhorias nas escolas estaduais estão previstos cerca de R$ 43,7 milhões. O Instituto Fundepar já atua para ampliar esses valores e, assim, o atendimento às necessidades das escolas. Atualmente, são cerca de 300 intervenções em andamento em todo o Estado.

Pelo Fundo Rotativo – programa de repasse de recursos descentralizados para compra de materiais e contratação de serviços – está prevista a destinação de cerca de R$ 120 milhões às escolas estaduais. O repasse da primeira parcela deve ocorrer em fevereiro.

Novos conjuntos escolares (mesa e cadeira para os alunos) também estão sendo entregues conforme pedidos das escolas e disponibilidade de atendimento.

FOCO NO APRENDIZADO – Em Maringá, no Noroeste do Estado, aproximadamente 900 estudantes dos ensinos Fundamental, Médio e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) do Colégio Estadual Vital Brasil voltaram às aulas. O diretor Marcos Antônio Tomadon disse que a expectativa é alta para o início do ano letivo.

“Estamos bastante otimistas, com novo comando e propostas para melhorar o Ideb e a qualidade de ensino. Esperamos receber os professores também motivados para oferecer um ensino público de qualidade. Com o apoio da secretaria, do núcleo e da comunidade, com certeza vamos atingir nossas metas”, destacou Tomadon.

A diretora Luciane Giongo Vargas, do Colégio Estadual Humberto de Campos, em Santo Antônio do Sudoeste, também têm como meta melhorar a qualidade do ensino. Segundo ela, as ações pedagógicas para esse ano foram definidas com esse objetivo.

“Será um ano com muitas expectativas, pois o nosso desafio é realizar uma gestão pedagógica, que é o pilar do processo de ensino e aprendizagem, com metas e ações que motivem nossos estudantes a melhorar o desempenho na educação”, disse Luciane, que responde pela direção de 1,2 mil estudantes do maior colégio do município.