MANCHETES

audima

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Cardi B personificará empoderamento feminino no Grammy 2019









LOS ANGELES (Reuters) - Os rappers Kendrick Lamar e Drake podem liderar em número de indicações, mas a premiação do Grammy, no domingo, parece destinada a ser um demonstração de empoderamento feminino.

A desbocada rapper Cardi B, cuja música e vida pessoal dominaram a cultura pop nos últimos dois anos, comandará a presença feminina na maior noite da música com uma apresentação e cinco indicações, incluindo de melhor disco e gravação do ano.

A cantora de R&B Alicia Keys apresentará a cerimônia pela primeira vez, e Miley Cyrus, Janelle Monae, Camila Cabello e Kacey Musgraves também cantarão ao vivo no espetáculo realizado em Los Angeles.

São grandes as esperanças de que Lady Gaga interprete “Shallow”, canção do filme “Nasce Uma Estrela” indicada ao Grammy e ao Oscar.

Mas Cardi B deve monopolizar os holofotes. A artista nova-iorquina de 26 anos é só uma de várias mulheres rappers e chamou atenção com sua mensagem de empoderamento feminino, durante e depois de seu casamento com o rapper Offset, com uma leva de gravações e colaborações de sucesso, como “I Like It”, “Girls Like You” e “Taki Taki”.

“Cardi B é uma mulher muito forte que controla a própria carreira. Ela é realmente talentosa, tem algo a dizer e é divertida. Ela é como um sopro de ar fresco”, disse Melinda Newman, editora da costa oeste dos Estados Unidos da revista Billboard.

“Com Alicia Keys e todas as mulheres indicadas, acho que teremos um show muito inclinado às mulheres. Isso não é necessariamente proposital, é só como as coisas rolaram neste ano”, acrescentou.

É uma grande diferença em relação a 2018, quando a escassez de mulheres que foram indicadas e se apresentaram causou um furor midiático e levou a Academia de Gravações, cujos membros escolhem os vencedores do Grammy, a aumentar de cinco para oito o número de indicados nas quatro categorias principais.

Neste ano cinco dois oito indicados ao cobiçado prêmio de disco do ano são de mulheres – “Invasion of Privacy”, de Cardi B, “Dirty Computer”, de Janelle Monae, “By the Way, I Forgive You”, da cantora folk Brandi Carlile, “Golden Hour”, da artista country Kacey Musgraves e “H.E.R.”, da novata de R&B de mesmo nome.

Seis dos oito músicos que competem como melhor artista novo também são mulheres, entre elas Dua Lipa, intérprete britânica de “New Rules”, Chloe & Halle, Bebe Rexha e H.E.R.