Navigation Menu

Dia do Autocuidado é momento ideal para rever estilo de vida

Celebrado em 24/7 para lembrar que é importante cuidar da saúde 24 horas por dia, sete dias por semana, a ABIMIP, que trouxe o conceito da OMS ao Brasil, esclarece sobre como tirar o melhor proveito da prática, incluindo o uso responsável de medicamentos que não precisam de prescrição médica




PRNewswire 
Julho é o mês para se refletir sobre estilo de vida saudável. No dia 24/7 é comemorado o Dia Internacional do Autocuidado para lembrar a importância de estar atento à própria saúde 24 horas por dia, sete dias por semana. O autocuidado é uma prática estimulada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que diz respeito a uma atitude ativa e responsável em relação à qualidade de vida. Não basta tratar as enfermidades. É preciso buscar a prevenção, adotando hábitos como boa nutrição e atividades físicas.

A adoção de uma rotina saudável é importante para "poder viver os anos das idades mais avançadas com maior autonomia e saúde", ressalta o educador físico com pós-graduação em nutrição Marcio Atalla, conhecido defensor de práticas de autocuidado. Ter um estilo de vida saudável, completa, é  medicina preventiva mais barata e eficiente que existe.

A prevenção é a base dos sete pilares do autocuidado e, por vezes, envolve a necessidade de se lançar mão do auxílio de vitaminas e suplementos e até mesmo, de algum medicamento para combater sintomas simples e transitórios como dor de cabeça, resfriado e má digestão. Esses remédios são chamados no Brasil de Medicamentos Isentos de Prescrição (MIPs). Têm o uso estimulado pela OMS justamente para a melhoria da qualidade de vida pois oferecem conforto e garantem o direito de as pessoas decidirem sobre a própria saúde.

E a Associação Brasileira da Indústria de Medicamentos Isentos de Prescrição (ABIMIP) faz um alerta: automedicação é diferente de autoprescrição, que é o uso incorreto de remédios tarjados sem que tenha havido uma indicação médica. A entidade trabalha para que os brasileiros possam tomar decisões em relação ao autocuidado de forma responsável, consciente e segura. "Educar é essencial para que a pessoa possa discernir o que faz bem ou mal para a sua vida. E um indivíduo esclarecido representa um país mais saudável e desenvolvido", afirma Marli Sileci, vice-presidente executiva da ABIMIP.

O autocuidado é simples de exercer, completa, mas tem efeitos poderosos para a saúde de seus adeptos. Os benefícios ao sistema de saúde também estão comprovados: o uso de MIPs poderia gerar uma economia de cerca de R$ 400 milhões*. O cálculo deduziu o custo dos MIPs para o consumidor dos gastos com consultas médicas desnecessárias e a perda de dias de trabalho, com dados do Sistema Único de Saúde e da auditoria internacional IQVIA.

Esses recursos públicos poupados no tratamento de resfriados, dor de cabeça e má digestão, por exemplo, poderiam ser dirigidos para doenças mais graves, que têm grande impacto sobre a população e a saúde pública. É justamente esse o objetivo de um projeto de lei, em fase avançada de tramitação, cuja aprovação a ABIMIP aguarda. De autoria do deputado federal Odorico Monteiro (PSB/CE), médico, com pós-doutorado na Universidade de Montreal (Canadá), a iniciativa pretende tornar o autocuidado uma política nacional de saúde pública e também vai oficializar o Dia Nacional do Autocuidado. A data já é celebrada em países como Canadá, Austrália e no Reino Unido.

Os pilares do autocuidado: cuide para que todos façam parte da rotina

1 - Informe-se sobre saúde: Busque fontes confiáveis para ler e converse com médicos para tomar boas decisões e desenvolver noções de cuidados com a saúde física e mental.

2 - Conheça a si mesmo: Faça autoexames com frequência para conhecer o seu corpo e dê atenção aos sinais do organismo. Caso perceba alterações, converse com seu médico.

3 - Pratique uma atividade física: Deixar o sedentarismo de lado é importante para cuidar do corpo e da mente, melhorar o funcionamento do organismo e prevenir doenças.

4 - Tenha uma alimentação saudável: Comidas naturais e ricas em nutrientes munem o corpo de vitaminas e elementos necessários para a manutenção da saúde e proporcionam bem-estar.

5 - Evite riscos para a saúde: Cigarros, bebidas alcoólicas em excesso e alimentos industrializados devem ser evitados na rotina de quem deseja ter plenas condições físicas e mentais.

6 - Tenha bons hábitos de higiene: Lavar as mãos frequentemente, fazer a higiene bucal após as refeições e trocar as escovas a cada dois meses devem fazer parte da rotina.

7 - Use produtos de saúde de forma responsável: Remédios tarjados só podem ser consumidos com indicação de um profissional prescritor. Já os medicamentos isentos de prescrição, aqueles indicados para tratar males como dor de cabeça, resfriado e má digestão, têm acesso facilitado para uso de acordo com as orientações da bula, seguindo sempre a conhecida orientação: "se os sintomas persistirem, um médico deve ser procurado".

*Rodrigues AC. Utilização de medicamentos isentos de prescrição e economias geradas para os sistemas de saúde: uma revisão. J Bras Econ Saúde 2017;9(1): 128-36. Disponível em: <http://www.jbes.com.br/images/v9n1/128.pdf>

FONTE: ABIMIP
PRNewswire