MANCHETES

BRASIL

VOCÊ SABIA ?

PARANÁ

VÍDEOS

CONFIRA!

MANCHETES DO DIA

audima

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Maia diz que é na política e no Congresso que as soluções para o Brasil são encontradas

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu nesta terça-feira que é na política e no Parlamento que são encontradas as soluções para os problemas que o Brasil enfrenta.

Maia diz que é na política e no Congresso que as soluções para o Brasil são encontradas


Em discurso na sessão de promulgação da emenda constitucional que altera as regras das aposentadorias, Maia disse que o país precisa viver uma democracia forte para atrair a confiança dos investidores.

Ele ressaltou ainda que é por meio do Congresso que o Brasil vai sair da atual crise moral, econômica e social.

Reportagem de Maria Carolina Marcello

Senadora Jeanine Añez assume como presidente interina da Bolívia

LA PAZ (Reuters) - A senadora boliviana Jeanine Añez, uma opositora de Evo Morales, disse nesta terça-feira em uma sessão legislativa especial que assumirá como presidente interina da Bolívia, após a renúncia e saída do país do líder boliviano em meio a uma crise política.

Jeanine Añez após declarar-se presidente interina da Bolívia, em La Paz 12/11/2019 REUTERS/Marco Bello


Añez disse que tinha o direito legal de assumir o cargo, apesar de pouco antes a assembleia não ter conseguido reunir quórum para a sessão devido à ausência de parlamentares leais a Morales.

“Na ausência definitiva do presidente e do vice-presidente ... conforme o texto e o sentido da Constituição, como presidente do Senado, imediatamente assumo a Presidência do Estado prevista na ordem constitucional”, afirmou Añez.

Morales, que comandou a Bolívia desde 2006 e denunciou um “golpe de Estado” contra ele, desembarcou nesta terça-feira no México, acompanhado por seu vice-presidente Álvaro García Linera e a ex-ministra da Saúde Gabriela Montaño.

Reportagem de Daniel Ramos

Morales chega ao México, e Bolívia busca novo líder

LAZ PAZ/CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O ex-presidente da Bolívia Evo Morales pousou no México nesta terça-feira prometendo que vai continuar na política, enquanto em seu país as forças de segurança continham tumultos causados pela renúncia do líder de esquerda e oponentes buscavam um substituto interino para preencher um vácuo de poder.

Morales chega ao México 12/11/2019 REUTERS/Luis Cortes

Agradecendo ao governo do México por “salvar minha vida”, Morales chegou para pedir asilo na nação e repetiu a acusação de que seus rivais o depuseram com um golpe depois que a violência irrompeu na esteira de uma eleição contestada no mês passado.

“Enquanto eu estiver vivo, continuaremos na política”, disse Morales aos repórteres em comentários breves depois de desembarcar de um avião e ser recebido pelo ministro das Relações Exteriores mexicano, Marcelo Ebrard.

Morales defendeu seu tempo no governo e disse que, se tem culpa de algum crime, é de ser indígena e “anti-imperalista”.

Depois ele foi levado em um helicóptero militar, mostraram imagens de televisão. As autoridades mexicanas não disseram onde ele ficará, citando razões de segurança.

Morales chegou em um avião da Força Aérea mexicana depois de partir de Chimore, cidade do centro da Bolívia que é um bastião de seus apoiadores e para onde o primeiro presidente indígena da nação foi quando seu governo de 14 anos implodiu.

A saída de Morales, o último de uma onda de políticos de esquerda que dominou a política da América Latina no início do século, veio depois que a Organização dos Estados Americanos (OEA) declarou no domingo que houve irregularidades sérias na votação de 20 de outubro, o que induziu partidos governistas aliados a um rompimento e o Exército a exortá-lo a renunciar.

Parlamentares queriam aceitar a renúncia de Morales formalmente e começar a planejar a entrada de um líder temporário antes de uma nova eleição, mas seus planos parecem ameaçados, já que o Movimento ao Socialismo (MAS) de Morales disse que boicotará a reunião.

Moradores da capital La Paz, abalada por protestos e saques desde o pleito de outubro, disseram esperar que os políticos consigam restaurar a ordem finalmente.

“A democracia está em risco, e esperamos que isso seja resolvido hoje”, disse Isabel Nadia.

O carismático ex-plantador de coca, de 60 anos, alienou parte de seu eleitorado ao insistir em pleitear um quarto mandato, afrontando os limites de mandato e um referendo de 2016 no qual os bolivianos votaram contra tal possibilidade.

terça-feira, 12 de novembro de 2019

Empresários russos conhecem os projetos da Nova Ferroeste

Os projetos do Corredor Oeste de Exportação - Nova Ferroeste, que deverá ligar Maracaju (MS) ao Porto de Paranaguá, incluindo o ramal Cascavel a Foz do Iguaçu, foram apresentados aos empresários da RZD International, uma operadora do sistema ferroviário russo.


Tempo de conclusão da EJA passará de cinco para dois anos

O ano letivo de 2020 vai começar com mudanças significativas na Educação para Jovens e Adultos (EJA). O Conselho Estadual de Educação aprovou, por 18 votos a um, a proposta da Secretaria de Estado da Educação e do Esporte de reorganização da EJA para cronograma semestral. Apenas essa ação reduz o tempo médio de conclusão do Ensino Fundamental e do Ensino Médio de cinco para dois anos cada etapa.


Água tratada muda a vida de comunidade rural em Campo Mourão

Usar água da mina e andar quilômetros para pegá-la em baldes é uma realidade que ficou para trás para os cerca de 100 moradores da Comunidade Rural Alto do Divino, área que fica na divisa dos municípios de Campo Mourão e Araruna, no Centro-Oeste do Estado. A vida da comunidade mudou no início desse mês quando começaram a receber água tratada da Sanepar.


Programa Nota Paraná vai distribuir R$ 5 milhões por mês

O Governo do Estado vai fazer mudança no programa Nota Paraná para beneficiar ainda mais o consumidor. A partir de março de 2020, todos os meses uma pessoa será contemplada com R$ 1 milhão. Até lá, o prêmio máximo é de R$ 200 mil, e apenas cinco vezes por ano.



Cresce rejeição à prisão de Lula, mas maioria é contrária à decisão do STF que o libertou

Pesquisa da Atlas Político mostra que índice dos que desaprovam a detenção de ex-presidente subiu de 37,4% para 44,4%. Ainda assim, 53% têm imagem negativa dele. Eleitor votaria mais em Bolsonaro e Moro do que em candidato indicado pelo petista