A vida de luxo, excessos e exposição midiática das filhas de Demi Moore e Bruce Willis - JORNAL DE IBAITI

A vida de luxo, excessos e exposição midiática das filhas de Demi Moore e Bruce Willis

Rumer, Scout LaRue e Tallulah Willis mostram no Instagram como superaram seus vícios e se pronunciam contra os cânones de beleza e a discriminação contra as mulheres






Seus pais são dois dos mais famosos atores hollywoodianos, mas Rumer, Scout e Tallulah Willis, filhas de Demi Moore e Bruce Willis, já conheceram o pior lado de viver uma vida de luxo, abundância, excessos e exposição midiática, e tudo isso elas compartilharam através de suas redes sociais. As três somam quase um milhão de seguidores só no Instagram, e nesta plataforma mostram sem segredos todo tipo de momento, da felicidade que sentiram ao superar seus vícios – as três tiveram problemas de dependência – até sucessos profissionais, celebrações familiares e críticas contra os cânones de beleza e a discriminação às mulheres.




As três jovens são fruto dos 13 anos de casamento (1987-2000) entre os atores e literalmente nasceram sob os holofotes: para o nascimento da primogênita, Rumer Willis, sua mãe, Demi, contratou um cinegrafista que filmou o momento. Desde então, cresceram diante das câmeras, e hoje em dia parte delas mesmas a iniciativa de expor suas vidas. Além do carinho mútuo e da confiança que compartilham – não hesitam em se fotografar juntas e nuas numa jacuzzi para o Instagram –, une-lhes a experiência de terem passado por momentos complicados, assim como ocorreu com seus pais no passado.

A primogênita, Rumer Willis (1988), sofreu desde muito jovem a pressão dos tabloides norte-americanos, que publicavam cada movimento seu. Hoje é ela quem compartilha imagens sobre seu trabalho como atriz, além de mensagens de tom muito mais pessoal. Um dos mais comovedores foi há cerca de um ano, quando anunciou que estava sóbria havia seis meses, embora nunca tenha especificado de que vício se livrou. “Queria compartilhar isto porque estou muito orgulhosa de mim mesma. Ontem comemorei seis meses sóbria”, escreveu num post, acrescentando que nunca havia estado mais orgulhosa de si mesma.

Sua irmã do meio, Scout LaRue Willis (1991), compartilha com ela o talento para a dança e a atuação, mas ganha em rebeldia. Utiliza suas redes sociais para criticar a censura do Instagram, e são habituais suas imagens com as axilas sem depilar e contra censurar os mamilos femininos, motivo pelo qual sua conta chegou a ser suspensa.




LaRue teve problemas com o consumo de álcool e com a Justiça – usou documento de identidade falso para comprar bebida, foi presa pela polícia e condenada a prestar serviços comunitários – e, assim como suas irmãs, também tornou pública sua reabilitação. No ano passado, disse ter começado “a viver completamente o presente, sem filtro, sem ajudas químicas ou soluções fáceis”.

Tallulah (1994), a caçula, talvez tenha sido a que mais sofreu. Além do consumo de álcool e drogas, a jovem sofreu uma enfermidade psíquica chamada transtorno dismórfico corporal, que consiste em ter uma preocupação desmesurada com o aspecto físico. Como é habitual na família, tudo ficou documentado nas redes sociais, onde, no caso destas três irmãs, as mensagens de incentivo costumam superar as críticas.

Uma publicação compartilhada por tallulah (@buuski) em


Ela mesma compartilhou uma foto no Instagram em que aparecia com um cigarro, uma lata de cerveja e uma magreza extrema que evidenciava um problema, acompanhada de um texto em que celebrava o orgulho de “permanecer sóbria”. Hoje, um ano depois, Tallulah se dedica à moda – tem sua própria grife, a Buuski – e diz ter deixado para trás os tempos em que se castigava “por não ser suficiente”.

Além destas histórias tão pessoais, as três jovens mostram com naturalidade fotos de seus momentos familiares. Suas favoritas são as que aparecem com sua mãe, a quem apresentam como se fosse uma irmã a mais, mas seu pai também sempre está presente. O divórcio Willis-Moore, anunciado em 1998 e efetivado em 2000, não desintegrou a família, que mantém uma excelente relação e se reúne com assiduidade.

Uma publicação compartilhada por Rumer Willis (@rumerwillis) em

A prova disso são as imagens que publicam da família reunida – o último encontro do clã completo foi no mês passado, por ocasião do 30º aniversário da filha mais velha – e outras fotos nostálgicas do passado, anteriores ao divórcio. Nesta peculiar família também são bem-vindas Mabel Ray (2012) e Evelyn Penn (2014), as duas filhas de Bruce Willis com sua atual mulher, a modelo Emma Heming, que com apenas seis e quatro anos já aparecem com total naturalidade em selfies que chegam a milhões de pessoas.

CONVERSAÇÃO