12 horas de terror em Ibaiti Paraná - JORNAL DE IBAITI

12 horas de terror em Ibaiti Paraná




A rebelião dos presos em Ibaiti que teve início às 21h de terça-feira (14) durou 12 horas, com terror e medo para moradores. Um agente da cadeia que trabalhava no horário noturno foi feito refém, depois dos rebelados tomarem sua arma, e entrarem em luta corporal, quebrando um dos seus dedos.

No começo da rebelião a Policia Civil havia informado que eram dois reféns, mas ficou confirmado que apenas um agente da Cadeia Pública esta no poder dos rebelados. Após a policia dar fim ao motim, feito a contagem do presos ficou confirmado à fuga de 28 detentos. À Cadeia Pública de Ibaiti tem  capacidade para abrigar 30 internos, mas no momento da rebelião o numero de internos era de 161. Segundo informações.

A Rebelião

Por volta das 21 horas, dois agentes da Cadeia Pública estavam de plantão. Um dos plantonistas sai para atender uma ocorrência de transito. O agente que permaneceu no recinto da cadeia foi dominado pelos detentos,  após eles quebrarem a fechadura da cela.

Com a maioria dos detentos estando no pátio, fundos da delegacia; foi arrombado o portão lateral para rota de fugas dos detentos. Assim estava instalado a desordem,  iniciando com o incêndio e, a destruição de todas as salas com seus equipamentos. "Principalmente de Informática" que, teve perca total. Os locais menos atingidos foram as salas do delegado e do escrivão. Disse Pedro Dini.

Dois carros da Polícia Civil foram destruídos, um apedrejado, e outro incendiado. uma moto de propriedade do agente da delegacia foi furtado.  Foi encontrado uma arma de brinquedo na rua, próximo ao portão lateral da delegacia.


A Perícia

Segundo o delegado, após a perícia poderá ser feito uma avaliação que irá apontar sobre a perda de inquéritos policiais, e furto de arma de fogo  e como se dará o atendimento ao público.

Os Detentos

De imediato foram feito  transferência de 33 detentos para unidade prisional de Cornélio Procópio a 120 km de Ibaiti. os demais detentos ficarão  na Cadeia Pública de Ibaiti.

















CONVERSAÇÃO